VACINACAO CONTRA ODOR DE MACHO INTEIRO
O que e a vacinacao para controlar o odor de macho inteiro



A vacinação contra o odor de macho inteiro é uma solução segura, confiável e altamente efetiva, baseada no sistema imunológico do animal. A vacinação oferece vários benefícios:

  • É tão efetiva quanto a castração cirúrgica no controle do odor de macho inteiro
  • Permite que os machos inteiros desempenhem seu potencial de crescimento natural total, exigindo menor quantidade de ração para atingir o mesmo peso quando comparados com suínos castrados cirurgicamente
  • Possibilita a produção de carne suína com a mesma alta qualidade exigida para o consumo em relação à de machos castrados cirurgicamente e à de marrãs
  • Sua aplicação é fácil, podendo ser administrada com segurança pelo pessoal treinado da granja
  • Possibilita a produção de carne suína completamente segura para o consumo humano
  • É uma alternativa à castração cirúrgica que não causa sofrimento ao animal
  • Auxilia na redução do impacto da produção suinícola no meio ambiente e contribui para uma suinocultura sustentável


Veja abaixo informações mais detalhadas sobre o uso da vacinação para controlar o odor de macho inteiro:


Como é realizada a vacinação?
Os produtores precisam de uma receita do médico veterinário para vacinar com o objetivo de controlar o odor de macho inteiro. As pessoas que administram a vacina descobrirão que o produto é fácil de usar, embora precisem obedecer os devidos procedimentos para minimizar o risco de autoinjeção acidental. Bastam duas aplicações imediatamente atrás da orelha do animal. A vacinação é tão efetiva no controle do odor de macho inteiro quanto a castração cirúrgica. Dez anos de estudos revelam consistentemente uma eficácia superior a 99%.3,12

Voltar para cima

Como funciona a vacinação? 
A vacina estimula o sistema imunológico do suíno para produzir os anticorpos específicos contra o GnRF. Isso inibe temporariamente a função testicular, interrompendo a produção e o acúmulo dos compostos que causam o odor de macho inteiro.



Ao estimular a produção de anticorpos específicos anti-GnRF, a vacinação interrompe uma cadeia de eventos que levaria à liberação de testosterona e outros esteróides produzidos nos testículos, como por exemplo, a androstenona — fator importante na produção do odor de macho inteiro. A outra substância responsável pela produção do odor é o escatol. Este composto também é eliminado, uma vez que o nível mais baixo de esteróides permite que o fígado metabolize esta substância mais eficientemente.

Além de não causar sofrimento ao animal, a vacina é uma solução para o odor de macho inteiro que representa uma solução mais sustentável do ponto de vista ambiental e possibilita que as partes interessadas em todos os setores da cadeia de produção suinícola colham os benefícios do desempenho do crescimento natural dos machos inteiros, preservando a qualidade do consumo.
 

David Hennessy, M. Agr. Sci., Ph.D.
Gerente Sênior de Projetos Especiais
Zoetis
Inventor da primeira vacina comercial contra o odor de macho inteiro

Transcrição do texto para vídeo

Voltar para cima

Quando é realizada a vacinação?
Cada suíno deve ser vacinado duas vezes para que o odor de macho inteiro seja controlado com sucesso:

  • O tempo da primeira dose é relativamente flexível
  • O intervalo mínimo entre as duas doses é de quatro semanas
  • A segunda vacinação deve ocorrer entre quatro a seis semanas antes do abate
  • Depois da segunda dose, os testículos do suíno param de crescer




Voltar para cima

A vacinação é segura? 

Segurança do trabalhador
Nos últimos dez anos, funcionários treinados de granjas suinícolas administraram com segurança milhões de doses da vacina. A obediência aos protocolos de segurança e o uso do injetor adequado com avançados recursos de proteção reduzem a possibilidade de autoinjeção acidental.

Segurança do consumidor
A carne de machos inteiros vacinados é completamente segura para o consumo humano. À semelhança da maioria das vacinas, o sistema para controlar o odor de macho inteiro através da vacinação não deixa na carne resíduos que possam afetar a saúde humana. Além disso, o sistema tampouco estimula a secreção ou adição de hormônios ao suíno, e não contém organismos geneticamente modificados (OGMs).13

Com mais de dez anos de experiência com a vacina na Austrália e na Nova Zelândia e mais de dois anos na África do Sul, no Brasil, no México e em outros países, os consumidores em todo o mundo se beneficiaram da carne de suínos produzida usando a vacina.

Segurança do animal
A vacina é uma alternativa à castração cirúrgica que não causa sofrimento ao animal, eliminando complicações associadas ao procedimento, tais como infecções e mortalidade. A vacina tem sido administrada com segurança em milhões de suínos por mais de dez anos. Estudos em laboratório indicam que a vacina não causa efeitos adversos nos parâmetros bioquímicos do sangue, perfis hematológicos, comportamento, apetite ou saúde geral do suíno.14

Voltar para cima

Que diferença faz?

Produção de carne suína mais eficiente
Uma vez que a castração cirúrgica em idade precoce reduz o crescimento natural e a eficiência metabólica de suínos machos, a vacinação, como método substituto, possibilita aos machos inteiros exercerem todo o seu potencial natural de crescimento, chegando mais rápido ao mercado. Estudos revelaram que suínos machos manejados com a vacina consomem menos ração para atingir determinado peso quando comparados com suínos castrados cirurgicamente.3-4,15-20 Outros indicam que os animais manejados com a vacina apresentam melhor taxa de crescimento em comparação com os suínos submetidos ao método tradicional de inibição da atividade sexual.4,16-17,19-20

Alta qualidade de consumo
Machos inteiros vacinados produzem carne com a mesma alta qualidade de consumo que aquela oriunda de suínos castrados cirurgicamente e de marrãs. Machos inteiros vacinados produzem carne mais magra e com menos gordura corporal que suínos castrados cirurgicamente, mantendo, porém, a mesma alta qualidade do produto oriundo de suínos castrados cirurgicamente e marrãs.4-25 A porcentagem de gordura intra-muscular (fator associado a sabor, suculência e maciez) é similar àquela de suínos castrados cirurgicamente e de marrãs.4,13,22-25

Respeita o bem-estar do animal
O uso de vacina para controlar o odor de macho inteiro é uma alternativa que não causa sofrimento ao animal por eliminar as complicações decorrentes da castração cirúrgica, como por exemplo, infecções e mortalidade. As incisões da castração cirúrgica podem infeccionar, aumentando a incidência de doenças ou mesmo provocando a morte do animal.

Menor impacto ambiental
A vacinação contra o odor de macho inteiro auxilia a reduzir o impacto da produção suinícola no meio ambiente e contribui para uma suinocultura sustentável. Uma melhor conversão alimentar significa menor consumo de ração pelos machos inteiros. Além disso, esta eficiência implica menor produção de esterco e, com isso, diminuição no descarte de resíduos.

Como benefício extra, a vacina não contém produtos químicos nem agentes microbiológicos perigosos para o meio ambiente.

Voltar para cima

 

A seguir - O que dizem os especialistas



Referências

#